OS CONDOMÍNIOS HORIZONTAIS NA CIDADE MÉDIA DE MONTES CLAROS/MG: redefinição do espaço urbano

Iara Soares de França
Ricardo dos Santos Oliveira
Claudiely Soares Ferreira

Montes Claros/MG se insere no contexto das cidades médias exercendo relevante papel regional. O seu dinamismo tem atraído significativas atividades terciárias e instalações industriais contribuindo para o seu desenvolvimento e crescimento. Com isso, novos processos e formas espaciais urbanas se configuram nesta cidade média. Neste contexto, este artigo analisa a expansão imobiliária por meios dos condomínios horizontais em Montes Claros/MG, após a década de 1990. A expansão urbana sob a forma de condomínios horizontais caracteriza um estágio do desenvolvimento urbano marcado por mudanças estruturais nos aspectos funcionais, econômicos, sociais e culturais das cidades. Nesse estudo de caso, a análise realizada enfatizou a evolução e distribuição espacial desses empreendimentos imobiliários, assim como a atuação dos agentes responsáveis por sua materialização promovendo profundas transformações no espaço urbano de Montes Claros. Para obtenção dos resultados realizou-se pesquisa documental no 1º e 2º Cartório de Registro de Imóveis de Montes Claros e em construtoras instaladas na cidade que trabalham com o segmento de construção civil, além de pesquisa documental durante feiras de imóveis realizadas na cidade. Posteriormente, realizou-se se pesquisa in loco com registro iconográfico. Para o aporte teórico metodológico analisou-se estudos de autores que tratam das temáticas cidades médias, condomínios horizontais e reestruturação urbana: Amorim filho (2001), Botelho (2009), Filho (2009), França (2007), Gonçalves (2002), Santos (1981), Soares (1999, 2005), Sobarzo (1999), Spósito (2006). As novas formas de morar que se materializam na cidade média de Montes Claros associam-se ao processo de reestruturação urbana no que se refere a ocupação de áreas periféricas  e a construção de condomínios fechados. Nos vazios urbanos de Montes Claros agem os especuladores, que procuram valorizar os lotes com o propósito de adquirirem sobrelucro. Em várias áreas de Montes Claros estão sendo construídos tais empreendimentos imobiliários. Apesar de recente, o processo de desenvolvimentos desses padrões residenciais, iniciado na década de 1980, promoveu profundas transformações do espaço urbano. Nos condomínios horizontais localizados nas zonas norte e leste de Montes Claros residem população de renda média, sendo que suas instalações estão diretamente relacionadas aos programas federais de expansão do crédito imobiliário, através, principalmente, do Programa Minha Casa Minha Vida. Todavia, verifica-se que, diferentemente dos condomínios instalados nas zonas leste e norte de Montes Claros, os condomínios da zona oeste, especialmente aqueles localizados no bairro Ibituruna, são de alto padrão aquisitivo, o que indica a permanência de diferenciação socioespacial na paisagem urbana de Montes Claros/MG.


 

Trabalho Completo