TRANSPORTES E URBANIZAÇÃO: FERROVIA NA URBANIZAÇÃO DO NORTE DE MINAS

Ivaldo Frois Diniz
Simone Narciso Lessa

A infra-estrutura de transporte tem uma série de impactos benéficos sobre a sociedade, tendo, por isso, papel vital no alcance do desenvolvimento. A ferrovia, como símbolo do progresso e da modernidade, proporcionou a expansão dos sistemas de transportes entre o fim do século XIX e inicio do século XX, rompendo com isolamentos geográficos, limitações comerciais e barreiras para o mercado. Os prolongamentos das linhas férreas possibilitaram um processo de dinamização do comércio, dos meios de transportes, dos sistemas de comunicação e da estrutura urbana das cidades. O advento da ferrovia foi catalisador da urbanização e formação de cidades; centralizando a vida das povoações pelo mundo. Nossa pesquisa faz um resgate histórico do prolongamento da Ferrovia Central do Brasil pela região Norte de Minas Gerais entre os anos de 1908 e 1950, destacando sua importância no processo de urbanização e desenvolvimento econômico. O objetivo desse trabalho é compreender o processo de desenvolvimento e urbanização desencadeado pelo meio de transporte ferroviário. Desta maneira, compreender a dinâmica da expansão da rede ferroviária mineira iniciada no Império e ampliada como projeto de desenvolvimento e integração durante a República. Identificando quais elementos de expansão urbana foi viabilizado pela ferrovia; e de maneira mais abrangente, nas cidades de Pirapora e Várzea da Palma, a partir do cruzamento entre a construção de sua infra-estrutura da ferrovia e sua urbanização. As fontes documentais selecionadas e analisadas consistem nos relatórios ferroviários que descreviam o trabalho realizado pelos engenheiros que trabalhavam na construção e manutenção das linhas férreas, e as correspondências expedidas pelos engenheiros e diretores das estradas de ferro e das estações ferroviárias. A conclusão do trabalho demonstrou que o prolongamento da Ferrovia Central do Brasil na região do Norte de Minas proporcionou uma dinamização, modernização dos meios de transportes e ampliando as relações comerciais. O processo de urbanização evidenciou desde melhorias nas estruturas urbanas já existentes até o surgimento de novas cidades, diretamente ligadas a construção da ferrovia. Por outro lado, deslocou e concentrou em um eixo a importância de todo transporte da região. O resultado foi que antigos povoados, que anteriormente possuíam certa importância, como postos de parada para os tropeiros, responsáveis pelos transportes pré-ferrovia, perderam seu lugar para cidades que possuíam as estações ferroviárias. Logo, estas passaram a ficar a margem do desenvolvimento, excluídas dos benefícios trazidos pela promessa de progresso da ferrovia.


 

 Trabalho Completo